Destaques

Amazônia Colonial: Questões de Vestibulares


1. (PSC/2002) Durante a União Ibérica (1580 -1640), iniciou-se a ocupação do território que hoje denominamos de Amazônia. Utilizando seus conhecimentos sobre esse momento histórico, analise as proposições e assinale a opção correta, de acordo com o código abaixo. 

I. A ocupação da região possuía, naquele momento, um sentido estratégico-militar, considerando as pressões exercidas por franceses, ingleses e holandeses, especialmente na área do litoral atlântico e da região do Delta amazônico.
II. As duas primeiras fortalezas construídas na região – o Forte do Presépio (1616) e a Fortaleza da Barra do Rio Negro (1669) – marcaram também o processo de fundação das cidades de Belém e Manaus.
III. O Estado do Maranhão (1621-1652), com capital em S. Luís, era a sede administrativa, com jurisdição sobre territórios que se estendiam do Ceará ao Amazonas.
IV. A expedição comandada por Pedro Teixeira (1637-1639) foi uma das mais importantes para o alargamento das fronteiras lusas na Amazônia, contudo, seu retorno a Belém foi marcado pela tragédia porque seus integrantes foram exterminados por doenças, em disputas internas e nos confrontos com os índios. 

a) As proposições II e IV estão corretas. 
b) As proposições I e II estão corretas. 
c) As proposições II e III estão corretas 
d) As proposições I e III estão corretas. 
e) As proposições I, II, III e IV estão corretas. 

2. (PSC/2002) No final do século XVII, o descontentamento local dos colonos do Estado do Maranhão era grande: não tinham acesso às aldeias de índios para recrutar trabalhadores e estavam insatisfeitos com o desempenho da Companhia de Comércio do Maranhão (1682-1684). Logo traduzido em sublevação, o movimento dos colonos maranhenses ficou conhecido como: 
a) Guerra dos Emboabas 
b) Guerra dos Mascates 
c) Confederação do Equador 
d) Revolta dos Beckman 
e) Sedição de Vila Rica 

3. (PSC/2003) “Um amazonense que frequentou qualquer escola primária, que teve o privilégio de terminar a escola secundária ou até mesmo finalizar qualquer curso universitário, pode atravessar esses três ciclos sem nunca [...] haver discutido [...] sobre sua própria condição indígena.” (MELO, Lenilson M. Uma Síntese da História da Amazônia. Mens’Sana) 

A afirmação do autor é procedente, porém, nos últimos anos, ações de organismos nacionais e internacionais sinalizam na reversão deste quadro, induzidas, dentre outros motivos, pela discussão mundial sobre impacto ecológico na qual a Amazônia ostenta a posição de grande reduto natural da Terra, e nela, as populações indígenas são prioridades como guardiãs do desenvolvimento sustentável. Dentre estas ações podemos citar a proposta da ONU para promoção da “década indígena” (1995-2004); a imposição da OIT para que os países observem os direitos indígenas como reconhecimento de sua cultura diferenciada; a publicação pelo MEC de livros didáticos de autores índios; o Plano de Gestão Ambiental executado no Brasil com a participação indígena; a criação de instituições educacionais brasileiras com educação diferenciada; o lançamento da campanha estadual Biotecnologia – Ciência dos Brancos, Sabedoria dos Índios, e outras que buscam valorizar e resgatar a cultura indígena. 

Sobre o elemento indígena, considere as afirmações seguintes e marque a alternativa correta: 
I A afirmação do autor se justifica pela introdução da ideologia colonizadora que fabricou uma população identificada com valores não-índios. 
II As iniciativas governamentais brasileiras também são um reflexo da política indigenista vigente no Brasil, que atua no sentido de integrar as populações indígenas à sociedade nacional, retornando às concepções de Alexandre Rodrigues Ferreira e La Condamine. 
III A Constituição de 1988 reconheceu os direitos originários dos índios sobre terras tradicionalmente ocupadas, dentre outras razões, porque a redemocratização do país reabriu questões como identidade nacional, fortalecendo a consciência indígena. 
IV O Diretório Pombalino, apesar de suas medidas despóticas, resguardou os valores naturais dos índios, contribuindo para a ascendência majoritariamente indígena da população do Amazonas e para o resgate cultural que ora ocorre. 

a) Todas são corretas 
b) Somente I, II e III são corretas 
c) Somente II e IV são corretas 
d) Somente III e IV são corretas 
e) Somente I e III são corretas 

4. (PSC/2003) “O somatório dessas peculiaridades deu um certo toque de originalidade à história colonial da Amazônia, fazendo da região um exemplo ímpar de colonização [...]” (SANTOS, Francisco J. Além da Conquista. EDUA) 
Um dos aspectos da singularidade referida pelo autor foi: 
a) Ausência de legislação específica 
b) Subordinação da elite mercantil na hierarquia social 
c) Ocupação com objetivo exclusivamente econômico 
d) Loteamento territorial entre ordens religiosas 
e) Preferência pela mão-de-obra negra africana 

5. (PSC/2004) “E porque tenho intendido que os ditos gentios tem guerras uns com os outros, e costumam matar e comer todos os que nellas se captivam (...) hei por bem, que sejam captivos todos os gentios, que, estando presos (...) forem comprados (...) serão captivos sómente por tempo de dez anos (...) passados elles, ficarão livres (...).” (Fragmentos da Lei de 10/09/1611 – Sobre a liberdade do gentio da terra e da guerra que se lhe pode fazer.) 

O texto acima justifica e explica procedimentos de Tropas de Resgates. Sobre Tropas de Resgates, é correto afirmar que: 
a) A lei de 1688 previa somente o resgate de índios aprisionados por outros índios para fins de troca. 
b) Foram fontes de recrutamento de mão-de-obra indígena abolidas definitivamente pelo Diretório Pombalino em 1740. 
c) O resgate praticado pelas tropas era sempre fiel àquele previsto na legislação. 
d) Eram expedições militares nas quais não havia participação de religiosos. 
e) Foram a forma mais persistente de escravização indígena, sendo proibidas e permitidas várias vezes por diversas leis. 

6. (PSC/2004) O conceito de guerra justa, inspirado e extraído da doutrina da Igreja Católica, justificou a guerra contra os índios manaós na década de 1720, cujo desfecho foi o extermínio desta nação que emprestou seu nome à capital do Estado do Amazonas. Sobre este conflito, é correto afirmar que: 
a) Ajuricaba, o manaó que liderou a rebelião por se opor à aliança com os portugueses, foi remanejado para a cidade da Barra e enforcado em praça pública. 
b) Ao final da rebelião dos manaós, houve um processo de devassa que condenou os vencidos pelo crime de lesa-majestade em virtude da união com os Mundurucus. 
c) Os manaós foram considerados culpados de manterem atividades mercantis com espanhóis e franceses. 
d) A resistência armada dos manaós, reagindo às tropas de resgate provenientes do Pará, em busca de mão-de-obra, foi fator decisivo na deflagração da guerra. 
e) O cerco final aos manaós foi comandado por Bento Maciel Parente na vigência da administração de Mendonça Furtado. 

7. (PSC/2004) Com relação à escravidão negra africana na Amazônia, podemos afirmar corretamente que: 
a) O fraco desenvolvimento da escravidão negra na Amazônia deveu-se, dentre outros motivos, à insuficiência de capital para adquirir esta mão-de-obra e à relativa abundância de índios. 
b) Os primeiros escravos negros foram introduzidos na Capitania do Rio Negro no período pré-pombalino, por ação da Companhia Geral do Grão-Pará e Maranhão, em razão do êxito da economia de plantation. 
c) Em 24 de maio de 1884, Teodoreto Souto libertou os escravos amazonenses em cumprimento ao decreto-lei aprovado pela Assembléia Legislativa Provincial, que abolia oficialmente a escravidão negra na Província do Amazonas. 
d) O fenômeno da depopulação indígena e o caráter extrativista da economia amazônica ocasionaram a larga superação quantitativa da mão-de-obra negra, em relação à índia, circunscrita ao século XVII. 
e) Na luta abolicionista, a Sociedade Emancipadora Amazonense foi opositora da prática de manumissão por indenização, por considerá-la inócua ao objetivo de libertação negra. 

8. (PSC/2005) Segundo Fernando Novais, o Tratado de Tordesilhas foi um “acordo político num mundo onde a diplomacia não existia”, tornando-se o precursor das relações internacionais. Assinale a alternativa que, segundo este acordo diplomático, indica a situação geopolítica da região ocupada pelo atual Estado do Amazonas: 
a) Pertencia a Portugal. 
b) Pertencia à Espanha. 
c) Foi dividida entre Portugal e Espanha. 
d) Ficou de fora da partilha. 
e) Permaneceu sob domínio indígena. 

9. (PSC/2005) “Povos e povos indígenas desapareceram da face da terra como conseqüência do que hoje se chama, num eufemismo envergonhado, ‘o encontro’ de sociedades do Antigo e do Novo Mundo. Esse morticínio nunca visto foi fruto de um processo complexo (..). que se convencionou chamar o capitalismo mercantil. Motivos mesquinhos (...) conseguiram esse resultado espantoso de reduzir uma população que estava na casa dos milhões em 1500 aos parcos 200 mil índios que hoje habitam o Brasil” 
(CUNHA, Manuela C. Introdução a uma História Indígena. In História dos Índios no Brasil. p.12) 

Sobre os agentes da depopulação indígena referida no contexto acima, é correto afirmar que: 
a) As epidemias são normalmente tidas como o principal agente da depopulação indígena. 
b) A política de aldeamentos foi decisiva para a morte cultural do índio, mas o preservava fisicamente. 
c) Devido à necessidade de mão-de-obra, a escravidão, pouco contribuiu para o colapso populacional. 
d) A economia nômade contribuiu para a depopulação porque impedia auto-reprodução numerosa. 
e) Guerras e fome generalizadas, comprovadamente, foram fortes agentes que já atuavam antes de 1500. 

10. (PSC/2005) Assinale a única alternativa que não foi fator preponderante para o domínio português na região amazônica: 
a) Coleta de drogas do sertão. 
b) Ação missionária. 
c) Busca de escravo indígena. 
d) Expansão da fronteira pecuária. 
e) Implantação de fortificações. 

Clique aqui para visualizar o Gabarito


Um comentário:

Deixe seu comentário. Em breve, resposta.