Sistema Colonial - Economia Açucareira - Questões de Vestibulares - Gabarito


1. (Fgv) No período colonial, a renda das exportações do açúcar: 
a) Raramente ocupou lugar de destaque na pauta das exportações, pelo menos até a chegada da família real ao Brasil. 
b) Mesmo no auge da exportação do ouro, sempre ocupou o primeiro lugar, continuando a ser o produto mais importante. 
c) Ocupou posição de importância mediana, ao lado do fumo, na pauta das exportações brasileiras, de acordo com os registros comerciais. 
d) Ocupou posição relevante apenas durante dois decênios, ao lado de outros produtos, tais como a borracha, o mate e alguns derivados da pecuária. 
e) Nunca ocupou o primeiro lugar, sendo que mesmo no auge da mineração, o açúcar foi um produto de importância apenas relativa. 

2. (Fuvest) A produção de açúcar, no Brasil colonial: 
a) possibilitou o povoamento e a ocupação de todo o território nacional, enriquecendo grande parte da população. 
b) praticada por grandes, médios e pequenos lavradores, permitiu a formação de uma sólida classe média rural. 
c) consolidou no Nordeste uma economia baseada no latifundiário monocultor e escravocrata que atendia aos interesses do sistema português. 
d) desde o início garantiu o enriquecimento da região Sul do país e foi a base econômica de sua hegemonia na República. 
e) não exigindo muitos braços, desencorajou a importação de escravos, liberando capitais para atividades mais lucrativas. 

3. (Fuvest) Foram, respectivamente, fatores importantes na ocupação holandesa no Nordeste do Brasil e na sua posterior expulsão: 
a) o envolvimento da Holanda no tráfico de escravos e os desentendimentos entre Maurício de Nassau e a Companhia das Índias Ocidentais. 
b) a participação da Holanda na economia do açúcar e o endividamento dos senhores de engenho com a Companhia das Índias Ocidentais. 
c) o interesse da Holanda na economia do ouro e a resistência e não aceitação do domínio estrangeiro pela população. 
d) a tentativa da Holanda em monopolizar o comércio colonial e o fim da dominação espanhola em Portugal. 
e) a exclusão da Holanda da economia açucareira e a mudança de interesses da Companhia das Índias Ocidentais. 

4. (Mackenzie) Constituíram importantes fatores para o sucesso da lavoura canavieira no início da colonização do Brasil: 
a) o domínio espanhol, que possibilitou o crescimento do mercado consumidor interno. 
b) o predomínio da mão-de-obra livre com técnicas avançadas. 
c) o financiamento, transporte e refinação nas mãos da Holanda e a produção a cargo de Portugal. 
d) a expulsão dos holandeses que trouxe a imediata recuperação dos mercados e ascensão econômica dos senhores de engenho. 
e) a estrutura fundiária, baseada na pequena propriedade voltada para o consumo interno. 

5. (Mackenzie) Duas atividades econômicas destacaram-se durante o período colonial brasileiro: a açucareira e a mineração. Com relação a essas atividades econômicas, é correto afirmar que: 
a) na atividade açucareira, prevalecia o latifúndio e a ruralização, a mineração favorecia a urbanização e a expansão do mercado interno. 
b) o trabalho escravo era predominante na atividade açucareira e o assalariado na mineradora. 
c) o ouro do Brasil foi para a Holanda e os lucros do açúcar serviram para a acumulação de capitais ingleses. 
d) geraram movimentos nativistas como a Guerra dos Emboabas e a Revolução Farroupilha. 
e) favoreceram o abastecimento de gêneros de primeira necessidade para os colonos e o desenvolvimento de uma economia independente da Metrópole. 

6. (Uece) Sobre a estrutura social e econômica dos engenhos coloniais no Brasil, marque a opção certa: 
a) a escravidão era a forma de trabalho predominante, fazendo com que não houvesse qualquer divisão técnica do trabalho 
b) na agro-manufatura do açúcar, os escravos trabalhavam nas plantações de cana-de-açúcar enquanto os homens livres se ocupavam do trabalho nos engenhos 
c) os engenhos mantinham uma divisão do trabalho muito desenvolvida, com escravos realizando tarefas simples e homens livres realizando atividades que exigiam maior conhecimento técnico 
d) apesar de uma certa divisão do trabalho ser estabelecida nos engenhos, geralmente os homens livres se ocupavam das tarefas menos importantes e mais simples, em que se exigia somente a força física 

7. (Uel) A política econômica do mercantilismo explica, no Brasil Colônia, a 
a) decadência da economia de subsistência no Nordeste. 
b) introdução do trabalho assalariado na agricultura. 
c) prática econômica da substituição de importações. 
d) implementação da indústria têxtil no Sudeste. 
e) implantação da empresa agrícola açucareira. 

8. (Ufes) A organização da agromanufatura açucareira no Brasil Colônia está ligada ao sentido geral da colonização portuguesa, cuja dinâmica estava baseada na 
a) pesada carga de taxas e impostos sobre o trabalho livre, com o objetivo de isentar de tributos o trabalho escravo. 
b) unidade produtiva voltada para a mobilidade mercantil interna, ampliada pelo desenvolvimento de atividades artesanais, industriais e comerciais. 
c) estrutura de produção, que objetivava a urbanização e a criação de maior espaço para os homens livres da colônia. 
d) pequena empresa, que procurava viabilizar a produção açucareira apenas para o mercado interno. 
e) propriedade latifundiária escravista, para atender aos interesses da Metrópole Portuguesa de garantir a produção de açúcar em larga escala para o comércio externo. 

9. (Ufpe) Qual das alternativas a seguir contém as atividades produtivas que mais utilizaram a mão-de-obra escrava nos períodos Colonial e Imperial, no Brasil? 
a) Cultura de subsistência nas colônias de parceria, na região Sul, e criação de gado nas terras gaúchas. 
b) Extração de pau-brasil, culturas do fumo e do algodão. 
c) Produção de açúcar, cultura do café e mineração. 
d) Pecuária e mineração. 
e) Comércio, construção de estradas de ferro e produção de açúcar. 

10. (Unirio) A história econômica e social do Brasil Colonial está pontilhada de crises de abastecimento que podem ser explicadas por: 
a) desvio da produção de alimentos para o consumo das tropas e abastecimento do Oriente. 
b) maior atenção e investimento nos setores extrativos da economia colonial, durante o primeiro século da colonização. 
c) predominância dos setores voltados para a produção de exportação. 
d) baixa produtividade das lavouras indígenas responsáveis pelo abastecimento das cidades. 
e) constantes ataques de piratas, que paralisavam a importação de gêneros alimentícios da Europa.

Marcadores:
© 2013 História & Vestibular. Todos os Direitos Reservados.
Projetado por SpicyTricks