Arqueólogos egípcios descobrem coleção de tumbas faraônicas

Múmias de vários períodos estão conservadas em bom estado.
Região da descoberta fica a 100 quilômetros do Cairo.



Região onde foram encontradas as tumbas fica a 100 quilômetros do Cairo. (Foto: Supreme Council of Antiquities/AP)

Um grupo de arqueólogos egípcios descobriu uma coleção de cerca de 50 tumbas que conservam as múmias em bom estado, pertencentes a vários períodos faraônicos, anunciou neste domingo (23) o ministro de Cultura egípcio, Farouk Hosny.

Em comunicado, o ministério detalha que os túmulos foram localizados na região de Al Fayoum, a 100 quilômetros ao sudoeste do Cairo, em uma região arqueológica conhecida como Lahun, onde está a pirâmide de mesmo nome.

Os túmulos contêm sarcófagos de madeira pintada e conservam as múmias em bom estado, sob uma vendagem decorada com passagens religiosas do Livro dos Mortos e cenas que representam diferentes deidades do antigo Egito.



Sarcófago de madeira pintado estava em uma das tumbas descobertas em Lahun, no Egito. (Foto: Supreme Council of Antiquities/AP)

Durante a escavação foram descobertos quatro cemitérios: um deles data da primeira e a segunda dinastia (2750-2649 a.C.), o segundo pertence ao reino médio (2030-1660 a.C.), enquanto o terceiro e quarto estão datados no reino novo (1550-1070 a.C.) e outro do período tardio (724-343 a.C.), respectivamente.

O diretor da missão arqueológica, Abdul Rahman Al-Ayedi, indicou que os cemitérios da primeira e a segunda dinastias estão compostos por 14 túmulos, um dos quais "quase intacto". Em seu interior foram encontrados objetos funerários e um sarcófago de madeira com uma múmia envolvida em linho.

Conforme o secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades, Zahi Hawass, a outra tumba, pertencente à XVIII dinastia (1550-1295 a.C.), abriga 12 sarcófagos de madeira empilhados uns sobre os outros.

Os cemitérios (dos reinos médio e novo) têm 31 túmulos, a maioria pertencentes às dinastias XI e XII (2030-1840 a.C.).

Cada um destes túmulos inclui um sarcófago de madeira pintado em cujo interior há uma múmia vendada e decorada com textos religiosos (que segundo as crenças ajudam os mortos a atravessar para o mundo além), assim como cenas de diferentes deidades do antigo Egito como Horus, Hathor, Knum e Amon.

Além disso, a missão encontrou nas quatro esquinas do templo do rei Senusret II quatro poços onde foram encontradas vasilhas de barro.

No ano passado, esta mesma equipe de arqueólogos desenterrou uma necrópole com 53 túmulos escavados na rocha que datam do reino médio e novo e da XXII dinastia faraônica (III, II e II milênio a.C.).

Disponível em: http://g1.globo.com/ciencia-e-saude
Compartilhe no Google Plus

Sobre Jarlison Augusto

Quer contribuir conosco? Envie-nos seu material!
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Em breve, resposta.